Blog

Pecuária de Leite: A MENOR UTILIZAÇÃO DO PASTO EM DIETAS no OUTONO

2020-04-14




Com a chegada do Outono, ainda se vê o verde nos pastos e em algumas regiões o rebanho segue rotacionando os piquetes. Porém, a chegada da estação sinaliza para a mudança no desenvolvimento do capim, e o produtor de leite que se preza, já começa a se preparar para o inverno (seca). Ele já tem sua estratégia pronta para que não seja pego de surpresa pelo inverno.

O período do início do outono é marcado por estar, como no gráfico da figura 1, na queda da incidência de chuvas, diretamente relacionado com a produção e qualidade de forragens. 



C:UserslucasDesktopsp_100603_1.gif
Fonte: BeefPoint


As granjas leiteiras á pasto sentem mais tal mudança de estação e o nutricionista tendem a modificar a dieta aos poucos, de forma gradual e consciente para uma menor porcentagem de relação volumoso/concentrado.

CUIDADOS ESPECIAIS NA TRANSIÇÃO

Todo o cuidado é pouco nesse período de transição, pois qualquer erro de avaliação pode provocar restrição na oferta diária de volumoso, que, se não for resolvido a tempo, pode comprometer o desempenho animal, justamente num período do ano em que, devido ao clima menos intenso no período noturno e assim menor impacto do estresse térmico, o potencial produtivo e reprodutivo fica mais elevado. Neste momento em algumas regiões, o pasto já fica com uma menor relação folha-colmo, aumentando o material senescente (ficando mais amarelado).

Em fazendas de confinamento, o capim na maioria das vezes é sempre colocado como uma segunda forragem, com objetivos diferentes de acordo com a estratégia utilizada pela fazenda, com a diminuição da qualidade do pasto a inclusão do capim vai sendo reduzida, tal mudança não é sempre tão sentida de forma brusca com a redução lenta, que as vezes ocorre devido a mudança no teor de matéria seca deste componente.

Em fazendas á pasto, o produtor de leite deve ficar atento para garantir uma transição tranquila para os animais. Aspectos como local, tipo de alimento, proximidade de outros animais em ambiente restrito e até a presença humana mais frequente podem provocar algum tipo de “estranhamento” nos animais neste período. Contudo, seguindo algumas recomendações básicas, essa adaptação ao novo manejo pode ocorrer de forma relativamente rápida, em poucos dias.

O monitoramento do nosso capim nesta época é fundamental para maximizar o desempenho de nosso rebanho, independente do sistema de criação. Tanto em matéria seca, quanto em qualidade (teor de proteína).

 O aumento do concentrado na dieta e um maior investimento maior já começa a ser fator importante nos ganhos de produção deste período (e as vezes proteína do leite), e indo mais afundo, a mudança do teor de proteína do nosso concentrado é fator a ser observado, com a diminuição da proteína devido a diminuição ou ausência do pasto.

Com a grande probabilidade de ocorrer o fenômeno do EL NIÑO de baixa intensidade, a região Centro-Oeste ,  já deve haver menos chuvas torrenciais a partir do mês de maio, e assim devemos seguir com o que aprendemos e sempre buscar um auxílio técnico para sempre ter uma tomada de decisão rápida e eficiente dentro da propriedade, não somente ao aspecto nutricional, mas geral.


Receba Novidades por E-mail:

Fique Conectado