Blog

Pecuária de Corte: A importância do manejo correto das pastagens no verão e de uma nutrição adequada no período

2020-01-11




Pecuária de Corte: A importância do manejo correto das pastagens no verão e de uma nutrição adequada no período

Os olhos dos pecuaristas de corte chegam a brilhar com os pastos verdes e vigorosos. E com razão, pois a qualidade do pasto é o fator determinante para maximizar o potencial produtivo do rebanho. Contudo, é comum encontrarmos fazendas com índices de produtividade aquém do esperado, inclusive na época das chuvas, devido à falta do manejo de pastagem e suplementação adequada.

Manejo de pastagens: o que é?

De forma sucinta, o manejo de pastagens na pecuária de corte é o conjunto de intervenções que tem como objetivo atingir a maior quantidade de carne por área, sem prejudicar o desenvolvimento do pasto nem a qualidade do solo.

Dessa forma, promove-se uma alimentação adequada e equilibrada para os animais, com uma produção constante de forrageira por unidade de área, conservando a qualidade do solo e, consequentemente, evitando a degradação do pasto.

O manejo das pastagens na época de chuva

A época das chuvas é marcada pelos altos índices pluviométricos, temperaturas elevadas e maior período de exposição à luz solar. É o momento em que as condições ambientais estão extremamente favoráveis para o desenvolvimento e o crescimento rápido das plantas e, portanto, o produtor deve aproveitá-lo.

O sucesso da produção está na entrega de um pasto com alto valor nutritivo ao mesmo tempo em que se mantém a produtividade da vegetação. É sabido que os bovinos preferem plantas com folhas verdes e jovens e que evitam as mais estruturadas, com colmos fibrosos. Eles buscam, simplesmente, por alimentos que facilitem a sua bocada e aproveitamento.

Além disso, o amadurecimento das plantas resulta na diminuição do seu valor nutricional e no tombamento da vegetação, que também não é consumida pelos animais nesse estado.

Dessa forma, fica evidente que o melhor período para o gado entrar no pasto é quando há o máximo de acúmulo de folhas verdes.

A época das águas propicia o surgimento de outras plantas no campo e, consequentemente, a ocorrência de pragas. Por isso, além de fazer o controle da performance dos animais e da altura da forrageira, o produtor deve adotar as seguintes práticas: monitorar o crescimento de plantas invasoras e daninhas; monitorar a ocorrência de pragas na vegetação; realizar a adubação para manter o solo fértil e, consequentemente, a máxima produtividade do pasto.

Suplementação que faz a diferença

Com a correta suplementação podemos incrementar ainda mais o ganho de peso dos animais. No entanto, a utilização de suplementos deve ser muito bem analisada, pois a recomendação ou formulação errada pode comprometer os resultados esperados, trazendo prejuízos econômicos para o sistema.

A prática mais comum durante o período das águas é o uso do Precisão Nitro da Campo Nutrição Animal. Este deve ser bem formulado, conter macro e micro minerais que complementem o que falta na dieta do animal e supra sua exigência para ganho.

Um primeiro salto tecnológico em relação ao uso do sal mineral, seria o uso do Petisco da Campo Nutrição Animal (consumo de 0,05% do peso vivo ou 50g/100kg). Este tipo de produto conta com um aditivo promotor de crescimento em sua formulação e com farelos, que além de ser um ótimo veículo para potencializar o efeito do aditivo no ambiente ruminal, faz com que o animal consuma o produto diariamente. O consumo de minerais diariamente, nessa fase, é de suma importância, uma vez que estamos falando de animais em crescimento. Este tipo de suplementação tem possibilitado ganhos adicionais da ordem de +0,100 kg/dia.

Evoluindo com a suplementação, teríamos o Merenda da Campo Nutrição Animal, que mesmo no período das águas, têm mostrado um excelente resultado, por permitir ajuste fino no perfil proteico da forragem consumida pelo animal, além de agregar todas as vantagens do mineral enriquecido. O ganho adicional com este tipo de suplemento tem sido da ordem de +0,150 kg/dia. Sem dúvida, a suplementação proteica durante as águas tem mostrado um dos melhores custos: benefícios durante a recria.

Temos ainda a opção de trabalhar com suplemento Boca Cheia da Campo Nutrição Animal. Estes produtos permitem ganhos adicionais da ordem de +0,250 kg/dia (ou mais). Estes produtos imprimem acelerado ganho em carcaça, melhorando o rendimento de carcaça final.

Conclusão

Para finalizarmos, fica claro que existe um grande potencial a ser explorado com o uso da suplementação no período das águas. No entanto, deve-se fazer uma análise criteriosa da forragem disponível para saber qual o melhor tipo de suplemento a ser utilizado.

Nesse caso, vale lembrar o conceito e objetivo principal da suplementação, que é: complementar o que falta no rúmen para que os processos fermentativos ruminais sejam maximizados. Conte com a Campo para auxiliar a escolha correta do suplemento a ser utilizado, assim como para a definição das metas a serem alcançadas.

Vale lembrar ainda que a correta escolha do produto é uma das etapas para se chegar ao resultado esperado. O manejo do pasto, a estrutura de cocho, a qualidade de água, o correto fornecimento do suplemento, entre outros, são fatores que participam da construção do resultado esperado.

Receba Novidades por E-mail:

Fique Conectado