Blog

Mais arrobas por hectare

2017-07-10


Na pecuária de corte, a multiplicação do número de arrobas por hectare é uma meta de todos. Porém, historicamente, a média de arrobas por hectare ainda é baixa, no Brasil, e, por muitas vezes, quando o pecuarista coloca tudo isso no papel, vê que a atividade não se paga dentro da fazenda. Dessa forma, maximizar esse ganho é uma meta desejada por todo pecuarista. Mas como fazer isso?

Realmente a tarefa é árdua. No entanto, para maximizar o número de arrobas/hectare alguns fatores devem ser ponderados objetivando incrementar a produção sem a necessidade de fazer grandes investimentos.

Saiba agora quais são esses três fatores que você deve considerar para conseguir maximizar a produção de arrobas por hectare na sua fazenda. Vamos lá?

#1 - Suplementação Estratégica

Como otimizar o ganho de peso de meus animais através da suplementação estratégica? É possível?

Esta é uma questão feita corriqueiramente por todos os pecuaristas. A resposta pode ter duas vertentes:

Suponhamos que você trabalha com a cria e estamos no início da época das secas, onde a oferta de pastagem é menor em quantidade e qualidade. Neste caso, para aumentar a produtividade o pecuarista precisa otimizar o ganho de peso dos animais utilizando suplementos que vão adequar a deficiência natural da pastagem no período com a necessidade do gado.

Já no período das águas, onde a pastagem apresenta melhor qualidade o pecuarista pode otimizar o investimento e maximizar o ganho de uma forma bem vantajosa, obtendo elevados ganhos de peso/dia.

Dessa forma, podemos dizer que o termômetro da suplementação estratégica será o nível da pastagem e a necessidade nutricional do animal, ou seja, se a pastagem é muito boa em termos de proteína e energia a suplementação pode ser utilizada para aumentar ainda mais tão sonhada multiplicação do número de arrobas por hectare e se a pastagem não tiver qualidade suficiente, a estratégia de suplementação pode trazer equilíbrio ao sistema, evitando a perda de peso dos animais.

Principais formas de suplementação

Sal mineral com Ureia: O sal mineral com ureia é uma boa alternativa de suplementação de menor investimento na seca já que objetiva a manutenção de peso dos animais no período. No entanto, para ter o efeito esperado, é necessário que haja boa disponibilidade de forragem, mesmo que de baixa qualidade.

Sal Proteinado: Conhecida também como mistura múltipla, essa é uma alternativa de suplementação que tende a ter boa relação custo-benefício. Em pastagens com boa disponibilidade forrageira e lotação adequada, o sal proteinado pode possibilitar boa elevação dos ganhos de peso/dia.

#2 – Manejo de pastagens

De maneira geral, as pastagens do Brasil estão abaixo de suas reais potencialidades. Com isso, o desempenho do animal tende a ser inferior do que sua capacidade genética proporciona.

Entre os principais problemas na produtividade das pastagens podemos citar a falha ou até a ausência da correção e da adubação de manutenção, além do manejo inadequado das espécies forrageiras, não respeitando os períodos recomendados de pastejo e descanso. A principal consequência será a queda da capacidade de suporte e consequentemente do ganho de peso após três ou quatro anos da formação da pastagem.

Assim, o manejo correto da pastagem é uma das formas mais eficientes de diminuir os casos de erosão (representativa da degradação do solo) e por consequência aumentar o número de arrobas por área principalmente no longo prazo.

Essa erosão será decorrente da falta de rebrota do capim e para soluciona-la utilizar o recurso da correção e da adubação de manutenção pode ser uma boa dica, pois evitará a erosão e melhorará a qualidade e a quantidade da pastagem.

Outra medida que muitos técnicos recomendam para melhorar o pasto e a oferta de alimento ao gado é, na formação do past. Assim, fazendo-a com o auxilio de curvas de nível, principalmente, em terraços de base larga e áreas com travesseiros. Assim,  a tendência é que os casos de erosão sejam diminuídos.

Vale lembrar também que, assim como as raças de gado, as diferentes forragens também apresentam comportamento diferente dependendo do clima e do solo, assim, para que você consiga maximizar o número de arrobas/hectare, é essencial que você considere a variedade de capim que melhor se adapta à área.

#3 – Equipe devidamente treinada e coesa

Uma equipe de colaboradores bem treinada, coesa e atenta às suas responsabilidades é essencial para o sucesso de qualquer atividade. Dentro da pecuária, o treinamento já acontece com a pecuária de leite com maior recorrência. Porém, devido a sua importância vem ganhando mais importância também na pecuária de corte.  

Será essa equipe que será responsável por todo o cuidado com o manejo das pastagens, oferta da suplementação formulada pelos técnicos aos animais, além de priorizar o bem-estar dos animais. Não adiantará de nada planejar a suplementação o priorizar o melhor manejo se a equipe de colaboradores não está alinhada com a gestão geral da fazenda.

Portanto, investir na capacitação da equipe é fundamental para melhorar os resultados da fazenda e conseguir a tão sonhada maximização das arrobas por hectare. Já que a capacitação dos funcionários refletirá diretamente no nível e elevação da produção.

Gostou do conteúdo de hoje? O que você acha da adoção da verticalização em fazendas? Conte para a gente nos comentários!

   



Receba Novidades por E-mail:

Fique Conectado